Dia do Pai

Antes de mais, obrigado Pai por seres quem és, por me teres concebido e por me teres transmitido todos os valores que regem a minha vida.

O meu Pai é Portista. Não é muito sofredor ( ou pelo menos não aparenta ) e vai assistindo a uma certa distância, às vitórias e glórias do seu clube. Como já aqui contei, não falo muito de bola com o meu progenitor por causa do Sá Pinto. Outros quinhentos.

Se fosse por influência paterna seria do seu clube, mas ao seu estilo e até porque tinha muito mais que fazer do que ligar a futebóis, nunca me quis levar para o clube que ele escolheu. Diz ele que, descalço e em conversa com um tio meu, no coração de Trás-os-Montes, decidiu ser Portista porque o tal meu tio disse que era do Benfica. E assim ficou. Tudo bem.

E de onde vem o meu Sportinguismo fanático? Da rua, do meu melhor Amigo Rui Rodrigues, da sua irmã que é a minha mulher e a mulher da minha vida e, importante também, do tio Adelino. Tio deles que passou a meu tio também depois de ter casado com a sobrinha. E foi com a sua influência e dos sobrinhos que me tornei neste ser Sportinguista. Quando jogávamos na praçeta era do Sporting que eu queria ser. Era um jogador qualquer desde que o mesmo vestisse o manto sagrado verde e branco listado. Manuel Fernandes era o favorito mas eu tinha mais jeito a defender do que a atacar. Já o meu cunhado era um atacante nato, canhoto, habilidoso. Por isso também eu queria jogar mais vezes com ele pois as hipóteses do nosso Sporting ganhar eram consideravelmente maiores. Que jogos fizemos com balizas de ferros ‘desviadas’ de uma qualquer obra da redondeza cobertas por sacos de batatas feitos redes. Mas estes, pedidos na mercearia do Zé Sales. Eram nessas mini balizas que marcávamos os golos do Manel e do Rui Manuel Trindade Jordão ( curiosamente o meu melhor amigo também se chama Rui Manuel ) e tentávamos defender as bolas do Luís e do Cazé. O primeiro é Benfiquista, o segundo é Portista. Mas na nossa praçeta, eramos maioria.

E assim foi crescendo esta enorme, única e quase avassaladora paixão pelo Sporting Clube de Portugal. Chorei convulsivamente durante 15 minutos depois de ganharmos no Salgueiral. Estive no velhinho Alvalade até às 4 da manhã. Passei, como todos os Sportinguistas passaram, pelo gozo e escárnio dos outros. Mas a nossa diferença de carácter, de querer, de sermos quem somos, independentemente das vitórias ou derrotas, tudo fez ultrapassar. Porque a listada verde e branca, aquele leão rampante e todos os valores que o Sporting Clube de Portugal representa e transmite, são maiores que tudo o resto. Maiores que os nossos rivais.

Aqui chegado, também eu sou Pai. A missão da minha vida, a coisa que eu mais queria na vida. Portanto, casei com uma Sportinguista, tenho um cunhado e cunhada Sportinguistas, primas dessa parte da família que também são cá dos nossos, primos que casaram com elas que tem esse bom gosto e, mais que tudo, tenho, temos, filhos que seguem as nossas pisadas. Cantam e gritam pelo Sporting. Herança genética e familiar. Porque isto de educar filhos é coisa de exigência.

O JM meu filho, a M minha sobrinha, os M&M’s meus sobrinhos também são as coisas mais preciosas desta vida para os seus Pais babados. E são do Sporting.

Se tinham escolha? Se calhar sim, mas lá está, seguem os bons exemplos dos Pais.

O meu filho? Já é um mini-fanático pelo Sporting e, à frente da televisão ou no estádio de Alvalade, vibra com aquela intensidade com que um miúdo de quase 8 anos pode vibrar. E até se irrita com os árbitros e vocifera as suas mini-irritações contra eles quando, tantas vezes, nos prejudicam. E vejam lá que até disse, ao vivo e a cores, a Cosme Machado que ‘ detestava árbitros ‘. Ah ganda filho. Assim é que é: verdadeiro, corajoso, bravo e sem medos. E lá está, mais uma vez a demonstrar as virtudes de Ser Sportinguista.

E que os nossos netos, sigam os bons exemplos desta Família Sportinguista.

Mais uma vez obrigado Pai por me teres dado ao mundo e me educares. Mas também pela liberdade de ter escolhido Ser do Melhor Clube do Mundo – O Sporting Clube de Portugal.

A ti Filho, todo o meu infindável Amor, Carinho e Paixão. Também agradeço à minha querida Paula e a Deus, o imenso privilégio que é ser Pai!

Tags: , , ,

About Porta 10A

À direita das coisas, Sportinguista convicto, teimoso quanto baste, inventivo, apaixonado, Pai babadíssimo, sempre em família, sempre com Amigos. Adoro artes em especial a fotografia e a pintura. Gostava de ter sido Arquitecto, mas a matemática era tramada. Depois Jornalista, mas não deu. Adoro escrever. Sobre desporto e política, ou sobre uma coisa qualquer. Cristão, crente em Deus, não pratico porque acho que a melhor relação com Ele é directa. Adoro música e existem canções para todos os nossos estados de alma. E isto tudo, sou eu...

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: